E-Mail

contato@clinicafollicles.com.br

Ligue para nós

(11) 94994-3841

O que é alopecia? Como ela é causada? Entenda tudo sobre essa doença que leva a queda de cabelo

Clínica Follicles
o que é alopecia

Você sabe o que é alopecia? Ou, pelo menos já ouviu falar nesse distúrbio consideravelmente comum, e que atualmente atinge diretamente a saúde capilar de homens e mulheres?

Infelizmente, saiba que mesmo sendo comum, muito pouco se é falado a respeito das alopecias, existindo poucas informações sobre esse problema, tão importante de ser dito, principalmente por quem quer entender mais a fundo problemas como calvície e dentre outras coisas.

Inclusive, boa parte desses problemas são causados por causa de alopecias, que podem levar a queda, refração, ausência e diversos outros problemas nos fios.

Por fim, nesse artigo, nós da Follicles falaremos tudo sobre o que é alopecia, mostrando os principais pontos e informações sobre esse distúrbio que pode levar a queda de cabelo, calvície e uma série de outros problemas.

O que é alopecia?

Antes de tudo, o que é alopecia? Você sabe o que de fato é esse distúrbio?

Alopecia é um distúrbio causado pela interrupção no ciclo normal de crescimento do cabelo.

Ela é uma condição que pode gerar a queda de cabelo ou até mesmo de pelo em qualquer parte do corpo, podendo ser transitório ou definitivo, atingindo homens e mulheres, em diferentes intensidades.

Por mais que pareça ser algo esquisito, saiba que é uma nomenclatura de extrema importância para você que está buscando entender sobre queda de cabelo e suas principais causas.

Atualmente, o ciclo do cabelo é marcado por 3 fases principais, que são:

  1. Anágena: Essa é a fase de crescimento do fio. Podemos dizer que essa fase tem uma duração proporcional ao comprimento final do fio; geralmente essa fase dura de 2 a 7 anos. Esse período do ciclo ocorre desde a presença do folículo até a formação do fio;
  2. Catágena: Período em que o ritmo do fio diminui, caindo em relação à produção; é quando o folículo piloso entra em encolhimento. É nessa fase que você pensar que o seu cabelo não quer mais sair do canto;
  3. Telógena: Nessa fase o fio se solta do couro cabeludo, durando alguns meses; após esses processos, começa a nascer um novo fio, substituindo o velho.

Desse modo, caso uma pessoa venha a ter uma alopecia, algumas dessas fases serão afetadas, fazendo com que o crescimento dos fios não ocorra normalmente.

Por exemplo, no caso da calvície, os fios podem cair em determinada região, e não crescer mais, gerando aquelas placas sem fios, características da calvície.

O que causa alopecia?

Sabendo o que é alopecia, uma das dúvidas fortes que pode surgir nesse momento é a respeito do que pode causar esse problema.

Bem, a alopecia é algo único de cada indivíduo, não existindo uma “causa padrão”, podendo variar de pessoa a pessoa.

No entanto, mesmo que não exista uma causa padrão, existem alguns fatores considerados pela medicina como comuns, que podem levar ao desenvolvimento dessa condição, que são:

  • Problemas na tireoide;
  • Infecções causadas por fungos ou bactérias, inclusive casos de resistência bacteriana;
  • Hereditariedade;
  • Hormônios masculinos;
  • Traumas na região;
  • Má alimentação, que leva à falta de vitaminas;
  • Estresse;
  • Oleosidade em excesso, relacionada à dermatite seborreica;
  • Reação adversa a medicamentos ou certos tratamentos, como a quimioterapia;
  • Tratamentos de beleza com produtos químicos que agridem o couro cabeludo.

Aqui na Follicles já chegamos a atender boa parte dos casos com essas causas comuns, sendo essencial fazer um estudo aprofundando em uma pessoa que sofra com esse problema, para entender e descobrir possíveis causas.

Alopecia tem cura?

Queda de cabelo – Fonte: AdobeStock

A boa notícia para quem sofre com alopecia, é que sim, em boa parte dos casos, a Alopecia possui tratamento e pode ser solucionada.

No entanto, antes de qualquer coisa, você precisa saber que existem 2 tipos principais de alopecias, que são as cicatriciais e não cicatriciais.

Alopecias cicatriciais: essas alopecias podem ser caracterizadas como inflamações, trazendo na maioria dos casos, a destruição do folículo, trazendo assim problemas irreversíveis.

Saiba que esse tipo, menos comum, acaba não tendo cura, podendo ser apenas controlado através de tratamentos específicos.

Alopecias não cicatriciais: diferente das cicatriciais, as não cicatriciais são reversíveis uma vez que o folículo piloso não é destruído.

Ou seja, com um tratamento adequado, o indivíduo que sofre dessa alopecia pode reverter essa situação, podendo ter de volta fios bonitos e saudáveis.

Essas alopecias são as mais comuns, e em boa parte dos casos é possível trazer a cura usando os procedimentos adequados.

Por esse motivo que estudar o tipo de problema envolvido é essencial, principalmente para classificar o tipo de alopecia ali presente, direcionando o melhor e mais adequado tratamento.

Tipos de alopecia?

Depois de entender o que é alopecia, é extremamente importante entender que existem uma infinidade de tipos.

Desse modo, dentro do grupo das cicatriciais e não cicatriciais que citamos acima, existem diversos tipos com características únicas.

Veja algumas do tipo não cicatriciais, que são as mais comuns e presentes, a seguir:

Alopecia Areata

Esse tipo de alopecia é caracterizado por uma perda recorrente, e as vezes assintomática, ocorrendo geralmente em áreas pilosas e também no couro cabeludo.

Desse modo, quem sofre dessa alopecia do tipo não cicatricial, acaba tendo uma perda de cabelo em uma determinada região, que não cresce mais no decorrer do tempo.

Em pelo menos 30% dos casos, saiba que esse tipo de alopecia pode estar relacionado a problemas no sistema imunológico do paciente, sendo presente em pessoas que possuem: tireoide, rinites, diabetes, lúpus, vitiligo e dentre outros.

Essa queda pode ocorrer tanto na região do couro cabeludo, como também em diversas outros pelos do corpo.

Além disso, é importante citar que Alopecia Areata, por mais que tenha um nome um pouco estranho para muitas, ela está presente em pelo menos de 1% a 2% da população.

Boa parte dos casos, mesmo que não tenha uma idade certa para acontecer, na maioria das vezes começa a se tornar presente em pessoas com menos de 20 anos.

E, por mais que muitos achem que ela só afeta mulheres, saiba que ambos os sexos podem vir a ter esse tipo de alopecia não cicatricial.

Inclusive, de acordo com estudos realizados, a Alopecia Areata vem sendo atribuída também como um fator hereditário, onde as chances de um outro membro da família também vir a ter esse problema é bastante presente.

Alopecia Androgenética

Essa alopecia é uma das mais conhecidas, caracterizando um problema comum chamado de calvície.

A alopecia androgenética, ou calvície, é caracterizada principalmente como uma perda dada com o tempo do diâmetro, pigmento e até comprimento do fio.

No entanto, diferente do que muitos acreditam, não ocorre uma queda definitiva dos fios. O que ocorre é a redução de cabelos em determinada região, formando placas.

Logo, a redução de fios em determinada região por esse tipo de alopecia geralmente ocorre de forma continua, onde as pessoas que sofrem com ela, vão identificando as “aberturas” causadas geralmente no decorrer do tempo.

Além disso, essa redução de fios, pode variar em relação da região, a depender do gênero do indivíduo.

Por exemplo: no homem, geralmente a Alopecia Androgenética, chamada de calvície, começa pela parte frontal, conhecida como “entradas”, evoluindo para o centro do cabelo, chamado de “coroa”, onde após um certo período, as entradas e coroa vão se encontrar, trazendo a calvície completa.

Já nas mulheres, essa alopecia começa com aberturas no meio do couro cabeludo, que vai se estendendo até as extremidades.

Ou seja, podem ocorrer de formas diferentes, sendo essencial o estudo para o tratamento adequado com base no perfil de alopecia sofrida pelo paciente.

Lembrando: isso não é um padrão, existindo diversos tipos de Alopecia Androgenética, que podem começar e avançar para locais diferentes.

Alguns dos sintomas que podem ser presentes por quem está começando a ter esse tipo de alopecia, são:

  • Couro cabeludo avermelhado ardendo ou coçando muito;
  • Oleosidade acima do normal;
  • Descamação do couro cabeludo;
  • Encurtamento dos fios;
  • Produção intensa de caspas, aparecendo inclusive nas roupas e fios;
  • E outras condições a depender do grau de desenvolvimento da alopecia.

Eflúvio Telógeno

A alopecia do tipo eflúvio Telógeno, é caracterizada por uma queda de cabelo, podendo ser aguda e intensa, fazendo com que um alto número de fios venha a cair em um curto espaço de tempo.

Ou seja, sim, aqui o paciente consegue ver realmente uma queda acentuada, presenciando as vezes “tufos de cabelos”.

Na maioria dos casos, essa alopecia é causada após alguma ação específica, como uma infecção, estresse emocional ou físico, fármaco, parto, febre e dentre outras coisas.

Certamente você já deve ter percebido esse tipo de queda após esses fatores de causa, sendo até que comum de acontecer.

A principal notícia sobre essa alopecia, é que ela pode ser curada após alguns meses de tratamento, em muitas vezes desaparecendo por completo.

Após o tratamento, em pelo menos 99% dos casos, os fios voltam a nascer e crescer normalmente em sincronia como ocorria naturalmente.

Se identificou com as informações acima? Nós temos a solução!

Depois de todas essas informações que foram ditas acima, você acha que está passando por alguma alopecia? Se identificou com algum dos sintomas que citamos?

Entre em contato e agende uma avaliação conosco agora mesmo, identificando se você sofre por algum tipo de alopecia ou outro distúrbio capilar, propondo um tratamento único e verdadeiramente eficaz.

Geovanna Souza

Geovanna Souza

Com início na carreira em 2001, Geovanna Souza, fundadora da Clínica Follicles, sempre veio trabalhando na área de cabelo, desde cedo tendo paixão naquilo que faz.

saiba mais

Pesquisar

Horário de atendimento

Precisa de ajuda?